Pular para o conteúdo
Insights > Mídia

QUANDO AS EMOÇÕES DÃO UM IMPULSO À PUBLICIDADE

2 minutos de leitura | Março 2017

Há muito tempo se sabe que os números são friamente precisos, mas completamente incapazes de avaliar aspectos mais suaves como emoções e sentimentos. Entretanto, assegurar que o público se conecte com as mensagens da marca é a próxima fronteira de medição eficaz.

Os consumidores de hoje acessam conteúdo através de uma miríade de mídias, mas os consumidores na Índia continuam a ver comerciais de televisão como uma das fontes mais confiáveis de publicidade. Entretanto, dada a prevalência da TV na vida dos consumidores, os telespectadores são bombardeados com mais anúncios do que nunca, tornando muito mais difícil para as marcas e agências criar comerciais que realmente se conectem com seu público. Então, o que está envolvido na construção dessa conexão?

A indústria de mídia tem um longo histórico de soluções de medição que avaliam o impacto de um anúncio em seu público alvo - entendendo o que funciona e o que não funciona. Mas eles não determinam se um anúncio cria uma conexão emocional com o telespectador. Isto representa uma oportunidade significativa para os marqueteiros, pois estudos mostram que as decisões de compra são motivadas pelas emoções.

MEDINDO AS EMOÇÕES

As emoções são intangíveis, e medi-las não é uma tarefa pequena. As pesquisas de resposta direta podem ser enganosas porque presumem que os entrevistados podem verbalizar suas emoções com precisão. As respostas verbais exigem que os respondentes expressem, e portanto racionalizem, suas emoções como sentimentos. As emoções são reações instintivas a estímulos externos, enquanto que os sentimentos são a interpretação da mente dessas emoções; e estão, portanto, sujeitos a preconceitos pessoais, cultura, cenário, experiências passadas e crenças arraigadas. Além disso, muitas emoções não quebram a superfície da consciência, tornando impossível a sua interpretação como sentimentos.

Para muitos pesquisadores modernos, o uso de técnicas que podem medir diretamente as reações neurológicas e biológicas é a melhor maneira de avaliar as emoções. Estas reações podem incluir freqüência cardíaca, suor, postura, reações faciais, impulsos elétricos em regiões específicas do cérebro, etc. Essas técnicas são referidas coletivamente como neurociência, e inovações técnicas recentes neste campo estão ajudando a abrir novos caminhos em nossa compreensão do comportamento do consumidor. Elas também estão estabelecendo um novo padrão para testes de propaganda.

UTILIZANDO A NEUROCIÊNCIA PARA TESTES DE ANÚNCIO

A neurociência proporciona uma visão profunda e clara do mundo real - as reações em tempo real dos consumidores no nível mais elementar: suas ondas cerebrais. O cérebro humano reage a estímulos em milissegundos, e ao capturar essas reações profundamente dentro do subconsciente, a neurociência do consumidor pode revelar exatamente como os consumidores percebem as marcas, o marketing e a mensagem - no nível mais granular. Respostas puras, instantâneas e não filtradas medidas no nível subconsciente da mente oferecem percepções muito mais precisas e confiáveis do que outras metodologias de pesquisa do consumidor.

Para mais detalhes, baixe o relatório completo (canto superior direito).

Continuar navegando pelos mesmos tópicos